Aprenda a calcular peso ideal (PI)


Também conhecido como peso desejável, o peso ideal (PI) depende de parâmetros como altura, sexo e idade para ser descoberto.

Com uma variação de 10 % para mais ou para menos o cálculo do peso ideal utilizando as fórmulas disponíveis deve ser feito levando em conta as características de cada pessoa.

Como calcular o peso ideal

Existe uma formula específica para cada caso e a nutricionista deve avaliar qual fórmula para o cálculo do peso ideal deve ser utilizada.

Peso


O peso é uma medida que engloba toda a estrutura corporal (gordura, músculos, ossos e água) e está diretamente relacionado com o equilíbrio proteico-energético de uma pessoa.


Peso atual (PA)


Com uma balança calibrada o indivíduo se posiciona em pé, descalço e com o mínimo de roupa possível no centro da balança. O peso atual ou PA é o peso observado no momento de uma avaliação nutricional utilizando uma balança calibrada.

Como fazer a pesagem


Calcular peso ideal para adultos


A fórmula para calcular o peso ideal em adultos utilizando o IMC é a seguinte:

Peso ideal (PI) = IMC desejado x Altura²

IMC desejado para adultos
Homens = 22 kg/m²
Mulheres = 21 kg/m²

Por exemplo, Renata pesa 85 kg e tem 1,76 m de altura.

PI = IMC desejado x (Altura x Altura)
PI = 21 x (1,76 x 1,76)
PI = 21 x 3,09
PI = 64,9 kg

O peso ideal para Renata é 64,9 kg.


Calcular peso ideal para idosos


Utilize o percentil 50 para calcular o peso ideal em pessoas idosas.

Os valores de percentil indicam a posição relativa do IMC em relação a outras pessoas idosas com características semelhantes.

A tabela mostra o IMC ideal para pessoas idosas. Calcular o peso ideal para pessoas idosas é muito fácil. Utilize a seguinte fórmula:

Peso ideal (PI) = Percentil 50 x Altura²

Por exemplo, Marcelo tem 74 anos e 1,65 m de altura.

Cálculo do peso ideal para Marcelo.

PI = Percentil 50 x (Altura x Altura)
PI = 25,1 x (1,65 x 1,65)
PI = 25,1 x 2,72
PI = 68,2 kg

O peso ideal para Marcelo é 64,9 kg.

Tabela 01 - IMC percentil 50 para calcular peso ideal

Homens
65 a 69 (anos) 24,3 kg/m²
70 a 74 (anos) 25,1 kg/m²
75 a 79 (anos) 23,9 kg/m²
80 a 84 (anos) 23,7 kg/m²
> 85 (anos) 23,1 kg/m²
Mulheres
65 a 69 (anos) 26,5 kg/m²
70 a 74 (anos) 26,3 kg/m²
75 a 79 (anos) 26,1 kg/m²
80 a 84 (anos) 25,5 kg/m²
> 85 (anos) 23,6 kg/m²

Fonte: Burr e Phillips (1984)


Calcular a adequação do peso


Descobrindo o peso atual (PA) e o peso ideal (PI) podemos calcular a adequação do peso.

A adequação do peso é mais um indicador para se chegar a um diagnóstico mais preciso.

Com o cálculo da adequação do peso é possível verificar o quanto o peso atual está distante do peso ideal.

Lembre-se, quanto maior o número de indicadores melhor as condições para realização de uma avaliação nutricional mais precisa.

A formula para o cálculo é:

AP = PA ÷ PI x 100

Onde:
AP = Adequação do peso
PA = Peso atual
PI = Peso ideal

Por exemplo, o peso atual (PA) de Renata é 85 kg e o seu peso ideal (PI) é 64,9 kg.

AP = PA ÷ PI x 100
AP = (85 ÷ 64,9) x 100
AP = 1,3 x 100
AP = 130 %

A adequação de peso para Renata é 130 %.

Tabela 02 - para classificação do estado nutricional de acordo com a adequação do peso.

Adequação do peso (%) Estado nutricional
≤ 70 Desnutrição grave
70,1 a 80 Desnutrição moderada
80,1 a 90 Desnutrição leve
90,1 a 110 Eutrofia (dentro do peso ideal)
110,1 a 120 Sobrepeso
> 120 Obesidade

Fonte – Blackburn e Thornton (1979).


Peso usual


O peso usual (PU) também conhecido como peso habitual é o peso que o paciente apresenta durante um período mais longo de tempo.

É o peso apresentado antes de doenças e procedimentos. O peso habitual é normalmente utilizado como valor de referência para avaliação de perda de peso, sendo um valor subjetivo informado pelo paciente ao nutricionista.

Como calcular o peso usual


Perda de peso (PP)


Uma perda de peso involuntária e maior que 10 % do peso usual indica imunodeficiência e risco para cirurgias.

A perda de peso (PP) é uma importante ferramenta para avaliação do quão grave é um problema de saúde. A perda de peso tem correlação direta com mortalidade.

Para calcular a perda de peso utilize a formula abaixo.

% PP = (PU – PA) ÷ PU x 100

Onde:
PP = Perda de peso
PA = Peso atual
PU = Peso usual

Por exemplo, o peso atual (PA) de Sofia é 53 kg e seu peso usual é 61 kg. Sofia relatou que começou a perder peso a aproximadamente 3 meses.

% PP = (PU – PA) ÷ PU x 100
% PP = (61 - 53) ÷ 61 x 100
% PP = 8 ÷ 61 x 100
% PP = 0,08 x 100
% PP = 8 %

A perda de peso de Sofia foi 8 %.

Sofia apresenta perda grave de peso. Compare o resultado do cálculo com a tabela abaixo.

Tabela 03 - Classificação da perda de peso com relação ao tempo.

Tempo Perda significativa de peso Perda grave de peso
1 semana 1 a 2 > 2
1 mês 5 > 5
3 meses 7,5 > 7,5
6 meses 10 > 10

Fonte – Blackburn e Bistrian (1977).


Peso ideal corrigido


Também conhecido como peso ajustado (PAJ) o peso ideal corrigido é utilizado quando a adequação do peso (AP) for inferior a 90 % ou superior a 110 %. Normalmente o PAJ é utilizado para definição da meta de peso em pessoas que apresentam sobrepeso e obesidade.

Como calcular o peso ideal corrigido para pessoas com sobrepeso ou obesidade

Para usar o PAJ, você pode fazer o cálculo do peso ideal (PI) utilizando o limite máximo do IMC.

O PAJ é bastante utilizado para calcular a necessidade calórica embora a fórmula ainda não tenha sido validada.

Fórmula para o cálculo do peso ideal corrigido:

PAJ = (PI - PA) x 0,25 + PA

Onde:
PAJ = Peso ajustado
PI = Peso ideal
PA = Peso atual

Por exemplo, sabendo que o peso atual (PA) de Renata é 85 kg, o peso ideal (PI) 64,9 kg e a adequação do peso (AP) 130 %.

PAJ = (PI - PA) x 0,25 + PA
PAJ = (64,9 – 85) x 0,25 + 85
PAJ = -20,1 x 0,25 + 85
PAJ = -5,025 + 85
PAJ = 79,97 kg

O peso ajustado de Renata é 79,9 kg.

Nesse caso, aplicamos o cálculo do peso ideal corrigido por que Renata apresentou a adequação de peso (AP) maior que 110 %.


Estimativa de peso


Os cálculos de estimativa de peso em adultos e idosos são utilizados quando o paciente está incapacitado e não é possível a obtenção do peso atual.

Fórmulas para calcular a estimativa de peso.

Método 1

Homens
P (kg) = [(0,98 x CP) + (1,16 x AJ) + (1,73 x CB) + (0,37 x PCSE) – 81,69]

Mulheres
P (kg) = [(1,27 x CP) + (0,87 x AJ) + (0,98 x CB) + (0,4 x PCSE) – 62,35]

Onde:
CP = Circunferência da panturrilha (cm)
AJ = Altura do joelho (cm)
CB = Circunferência do braço (cm)
PCSE = Prega cutânea subescapular (mm)

Método 2

P (kg) = 0,5759 x CB + 0,5263 x CAB + 1,2452 x CP – 4,8689 x sexo – 32,9241

Onde:
P = Peso (kg)
CB = Circunferência do braço
CAB = Circunferência abdominal
CP = Circunferência da panturrilha

Sexo = 1 para masculino
             2 para feminino


Calcular peso ideal para adolescentes


Para avaliação da obesidade em adolescentes podemos usar os pontos de corte do IMC para idade percentil > 85 e as dobras cutâneas subescapular e tricipital percentil > 90 para determinar o percentual de gordura.

Para saber mais sobre IMC por idade em adolescentes clique aqui...

Com a soma das dobras cutâneas tricipital e subescapular utilizando as formulas de Slaughter é possível determinar o percentual de gordura em crianças e adolescentes. O ponto de corte para excesso de gordura é 25 % para meninos e 30 % para meninas.

Equações para determinar o percentual de gordura corporal segundo Slaughter e cols. (1988). Idade de 8 a 18 anos.

Homens de raça branca

Pré-púberes: 1,21 (tricipital + subescapular) – 0,008 (tricipital + subescapular) ² - 1,7

Púberes: 1,21 (tricipital + subescapular) – 0,008 (tricipital + subescapular) ² - 3,4

Pós-púberes: 1,21 (tricipital + subescapular) – 0,008 (tricipital + subescapular) ² - 5,5

Homens de raça negra

Pré-púberes: 1,21 (tricipital + subescapular) – 0,008 (tricipital + subescapular) ² - 3,2

Púberes: 1,21 (tricipital + subescapular) – 0,008 (tricipital + subescapular) ² - 5,2

Pós-púberes: 1,21 (tricipital + subescapular) – 0,008 (tricipital + subescapular) ² - 6,8

Todas as mulheres

1,33 (tricipital + subescapular) – 0,013 (tricipital + subescapular) ² - 2,5

Se a soma das duas dobras cutâneas for maior que 35mm

Homens: 0,783 (tricipital + subescapular) + 1,6

Mulheres: 0,546 (tricipital + subescapular) + 9,7

Tríceps: mm / Subescapular: mm
Pré-puberes: estágios 1 e 2 de Tanner; Puberes: estágio 3 de Tanner; Pós-puberes: estágios 4 e 5 de Tanner.

É importante saber que nenhum indicador antropométrico isolado é suficiente para avaliar o estado nutricional em um adolescente.

A praticidade de utilização sessas fórmulas é muito grande, mas sempre deve se levar em conta o estágio pubertário do adolescente.

Por exemplo, uma menina que está adiantada em sua maturação sexual em comparação a população geral pode apresentar valores na curva de percentil de IMC por idade que não retrata uma condição física real.


Calcular peso ideal para crianças


Formula Rápida

Fórmula para calcular o peso aproximado para crianças de 3 a 10 anos de idade.

P = I x 2 + 9

Onde:
P = Peso (kg)
I = Idade (anos)

Por exemplo, Rafael é uma criança de 4 anos. Para calcular seu peso aproximado faça assim:

P = I x 2 + 9
P = 4 x 2 + 9
P = 8 + 9
P = 17 kg

O peso aproximado de Rafael é 17 kg.

Aprenda a calcular peso ideal para crianças

Curva de crescimento (percentis)

Como em adolescentes, não se deve usar nenhum indicador isolado para a avaliação de crianças. Outros indicadores antropométricos utilizados para avaliação do peso em crianças acima de 6 meses são as curvas de percentis.

Para crianças acima de 8 anos, pode-se usar juntamente com as curvas de percentis as medidas subescapular e tricipital com as equações para determinar o percentual de gordura de Slaughter e Cols. (1988).

Curvas de percentis para avaliação de peso em crianças

  • P/C: Peso para comprimento
  • P/E: Peso para estatura
  • P/I: Peso para idade (Não recomendado para avaliação de excesso de peso em crianças. Use P/E ou IMC/I)
  • IMC/I: IMC para idade


Classificação do peso para comprimento e do peso para estatura em crianças de 0 a 5 anos. (P/C e P/E).

Percentil Escore Z Diagnóstico nutricional
< Perc. 0,1 < Esc. -3 Magreza acentuada
≥ Perc. 0,1 a < Perc. 3 ≥ Esc. -3 a < Esc. -2 Magreza
≥ Perc. 3 a ≤ Perc. 85 ≥ Esc. -2 a ≤ Esc. +1 Eutrofia
> Perc. 85 a ≤ Perc. 97 ≥ Esc. +1 a ≤ Esc. +2 Risco de sobrepeso
> Perc. 97 a ≤ Perc. 99,9 ≥ Esc. +2 a ≤ Esc. +3 Sobrepeso
> Perc. 99,9 > Esc. +3 Obesidade

Fonte: Sisvan MS (2009).

Classificação do peso para idade em crianças de 0 a 10 anos. (P/I).

Percentil Escore Z Diagnóstico nutricional
< Perc. 0,1 < Esc. -3 Muito baixo peso para idade
≥ Perc. 0,1 a < Perc. 3 ≥ Esc. -3 a < Esc. -2 Baixo peso para idade
≥ Perc. 3 a ≤ Perc. 97 ≥ Esc. -2 a ≤ Esc. +2 Peso adequado para idade
> Perc. 97 ≥ Esc. +2 Peso elevado para idade

Fonte - Sisvan MS (2009).

Obs.: As curvas de percentis para pré-púberes e adolescentes não são indicados nos casos de atraso ou avanço puberal. Quando a criança está mais avançada na maturação sexual em relação a população em geral, ela pode ter um peso e estatura maior e vice-versa. Nesses casos o melhor indicador é o percentual de adequação de peso para a estatura (P/E) para determinação da condição nutricional.


Peso ideal para gestação


Recomendações de ganho de peso na gestação e classificação de estado nutricional pré-gestacional.

Estado nutricional inicial (IMC) Recomendações de ganho de peso (kg) semanal médio no 2° e 3° trimestres* Recomendações de ganho de peso (kg) total na gestação Ganho de peso por semana médio* (g/semana)
Baixo peso (BP) (< 18,5 kg/m²) 0,51 (0,44 a 0,58) 12,5 a 18,0 510 a partir do 2° e 3° trimestres
Adequado (A) (18,5 a 24,9 kg/m²) 0,42 (0,35 a 0,50) 11,5 a 16,0 420 a partir do 2° e 3° trimestres
Sobrepeso (S) (25 a 29,9 kg/m²) 0,28 (0,23 a 0,33) 7,0 a 11,5 280 a partir do 2° e 3° trimestres
Obesidade (O) (≥ 30 kg/m²) 10,22 (0,17 a 0,27) 5,0 a 9,0 220 a partir do 2° e 3° trimestres

* Os cálculos incluem ganho total no primeiro trimestre de 2 kg (1 a 3 kg) para todas, exceto para mulheres obesas, que devem ganhar 1,5 kg (0,5 a 2,0 kg). Fonte - IOM (2009).